fbpx

Sol

Desenho: Amanda

Tu pode ler ouvindo essa música.

A gente sempre dançou seguindo movimentos de translação
A tua luz era tão intensa que me cegava e às vezes eu precisava fechar os olhos e só sentir o calor sendo emanado da tua existência solar correndo pra dentro de mim
Parece que tudo sempre foi uma corrida
Eu corri pra fugir de você desde o primeiro momento em que te vi e gritei teu nome no meio de sombras existenciais
Nunca fui boa em apostas e naquele dia eu perdi mais uma
A exatidão da minha mente não funciona tentando encontrar saídas dualistas e fechadas demais que possam me mostrar caminhos que eu não tô preparada pra percorrer
Fiz um cálculo cheio de variáveis e ele me mostrou que não dava pra me aproximar demais de você
Acontece que eu sou ruim em matemática
Tentei só acreditar na simplicidade dos acontecimentos
Por um tempo eu até consegui
Agora o que me restou é ouvir barulhos no corredor e imaginar a porta se abrindo rapidamente e você subitamente surgindo com tuas feições que nunca soube decifrar

Obviamente a porta nunca se abre

Eu vivia um momento glorioso ao te ver sendo iluminado pelas luzes lá fora, enquanto você me iluminava aqui dentro
Uma das minhas maiores qualidades sempre foi dar valor às coisas antes que elas acabem, se é que realmente as coisas acabam algum dia
A evitação do caminho de partida é passageira, mas há uma ajuda crível em sua necessidade
Eu te vejo nos meus sonhos durante as noites frias em que você nunca está e meu inconsciente faz várias manobras pra te colocar em lugares fáceis de odiar
Ouço zumbidos incessantes na minha cabeça e existem momentos em que eu percebo que esses zumbidos são só a minha voz tentando me frear nas ações precipitadas e inconsequentes com fundos de verdade

Talvez eu nunca saiba qual é a melhor maneira de me expressar
(Será que isso existe mesmo?)
Eu só sentia que quando eu te olhava com meus olhos gigantes, não era preciso dizer qualquer coisa
De qualquer forma, as palavras às vezes são só palavras e palavras se perdem e eu não gosto de perder
Mesmo sem possuir qualquer coisa

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: