Mas (Cara) – Série Fotográfica de Carlos Eduardo Carvalho

Por Jaqueline Silveira

Fotografias: Carlos Eduardo Carvalho

Arte-educador e fotógrafo de rua, Carlos Eduardo Carvalho mora há seis anos em Joaçaba-SC.  A cidade que conversa entre o urbano e o rural sempre foi seu espaço de trabalho-pesquisa-experiência. Tornou-se um viajante de seu próprio lugar. A pé e de câmera no olho, percorre ruas-bairros-praças na tentativa de ver-observar sem pressa, aquilo que fica à margem ou invisível. E ainda, de contar histórias com os recursos e a geografia de seu lugar.

Elisangela faz limpeza das vias públicas. Ela comenta sobre o vírus:
‘’Não acho que vai passar logo, e me preocupa tanta gente na rua”.

A chegada do Covid-19 carregou o mundo de inquietações e desafios inimagináveis. O distanciamento humano e a proximidade com a morte-número trouxeram com força o sentimento de impotência e transitoriedade.  As atividades antes comuns, tornaram-se verdadeiras aventuras, passíveis de medo e risco.  Ir ao supermercado, à farmácia, levar o cachorro passear, além de trocar de sapatos e roupas com uma frequência alucinada, como se a contaminação estivesse sempre em nós, tornaram-se novos comandos. Para a fotografia que vive de olhar, de aproximar, de tocar, e especialmente para a fotografia urbana que vive na rua, o distanciamento trouxe alguns desafios de produção-criação. Afinal, qual a função da fotografia agora? 

Ainda, o que é o isolamento numa cidade do interior catarinense? Como é a quarentena numa cidade feita de gente que brada orgulhosamente o trabalho de comércio aberto, cidade polo-comercial? E mais, sendo capital do meio-oeste e responsável por atender com melhor estrutura de saúde os municípios de seu entorno, como será o atendimento hospitalar quando a crise de covid-19 chegar? Terá equipamentos para todos? Para além de números e casos-infectados, onde estão os rostos-histórias da cidade? Quem está isolado? Quem voltou ao trabalho? Quem é mascarado? Quem é sem?  O que pensam as pessoas? Estão com medo? Onde estão as vozes do interior?

Essas e outras perguntas motivaram o trabalho da série Mas(cara), realizada pelo fotógrafo Carlos Eduardo Carvalho, em Joaçaba, no período quinze de março a trinta de abril. A série traz um recorte da rotina na cidade em meio a pandemia e a nova estética das ruas e relações sociais numa quarentena.

Darlan é motorista de caminhão, enquanto não retorna a estrada, ele ajuda a sogra a vender
máscaras na rua.
Cândido Martini, sapateiro desde a infância, continua seus trabalhos. ”O movimento tá fraco, mas não tenho medo”.
Julian é motoboy, comenta que suas entregas aumentaram durante a pandemia.
Jovem casal Anderson e Lolita e o cachorro Juninho passeiam pelas ruas, comentam que levam a sério a situação e que estão se cuidando.
Jaqueline é produtora cultural e artista. Diz que está Aprendendo a reinventar- se e a pensar novos modos de produção artístico-cultural diante dos prejuízos e das ameaças violentas que vive o setor criativo no Brasil.

Mais sobre a série:

O isolamento é uma provocação humana. A fotografia de rua é provocada de forma errante, quando é preciso parar, cobrir o rosto, desviar olhos e mãos e tocar o mundo por outras vias, pois o corpo-casa está fechado. O sentimento do mundo encoberto por utilidades e promessas de futuro, agora escapa por uma fresta de pano, atravessando uma máscara que não pode cair. A série Mas(Cara) vai à rua no desejo metafórico de tirar máscaras para contar a história do outro em meio ao (des)encontro. Esse trabalho parte de um desejo de descobrir-contar qual é o rosto do mundo.

Sobre o fotógrafo

Carlos Eduardo Carvalho é fotógrafo e professor Licenciado em Artes Visuais. Na fotografia, seu trabalho caminha entre o documental e o artístico.  Seu olhar e sua pesquisa se concentram nos aspectos socioculturais nas cidades que formam o Vale do Rio do Peixe, no meio-oeste catarinense.

Prêmios/Projetos Fotográficos

Prêmio na 13ª edição do Salão Nacional de fotografia Pérsio Galembek, ano 2016.

Menção honrosa no Concurso de fotografia da Udesc “70 anos da Declaração dos Direitos Humanos” ano 2019.

Exposição coletiva 14ª edição do Salão Nacional de fotografia Pérsio Galembek, ano 2017.

Exposição coletiva Arte Na cidade – Sesc Joaçaba, nos anos de 2014, 2016 e 2017.

Fotógrafo still de cinema no longa-metragem Casa de Antiguidades, ano 2019.

Projetos Arte-educativos

Idealizador e Coordenador do projeto Novos Fotógrafos na APAE/Joaçaba –SC, desde 2017.

Idealizador e Coordenador do projeto Música Para Todos na APAE/Joaçaba –SC, desde 2017.

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: