Assimetria

Por Amanda Carolina Fossá

Desenho: Amanda

Tu pode ler ouvindo essa música.

A discrepância de nossas ideias se funde quando estamos perto
Te reconhecer próximo é como me aceitar em um dos meus momentos de dissociação
Um corpo estranho que não me pertence e uma imagem borrada no espelho que não faz jus ao que acredito
Visualizo vislumbres de algo que já se conheceu e que se dispersou com a ação do tempo
Somos feitos do mesmo material baseado na poeira estelar
Só que de duas galáxias diferentes e distantes
A destruição momentânea de egos necessária para apaziguar a guerra inconsciente que se forma e se transforma na sina relacional da assimetria que nos persegue
Admito minha necessidade de fugir ao encontro do desconhecido
Ao mesmo tempo, nego atração aos conflitos internos que transpassam meu pensamento e que se emaranham às palavras que te endereço
Quando me sinto melhor é quando não me pressionam a ser quem eu sou, mesmo que nesse tempo presente eu já nem saiba direito o que significa ser eu
Consigo dar um passo me reconhecendo ao me desculpar por todas as coisas que sinto em demasia, consciente de que eu não deveria tentar me perdoar pelas emoções que passeiam dentro de mim
Apesar da serventia inútil de minhas defesas contra você, ainda me mantenho mais observando do que absorvendo
Estou ciente de que além da grandiosa iluminação que o sol proporciona, também há grandes chances de queimaduras profundas

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: